Civic tem produção descontinuada no Brasil, mas novo modelo deve chegar no país; entenda

A 11ª geração do icônico sedã da Honda foi apresentada na Europa e traz um design mais sóbrio e conservador

Já faz praticamente meio século que a montadora Honda lançou no mercado o Civic, na década de 1973. No início tratava-se de um modelo hatch com um design completamente urbano. Todavia, com o passar dos anos, outras versões foram surgindo, e desde 1992 o modelo que faz história no Brasil é o sedã.

Somente em 1997, cinco anos mais tarde a produção nacional foi iniciada e mesmo baseado em vendas de importação, o Civic não saía do topo das vendas, rivalizando apenas com o Toyota Corolla. Após quase vinte e cinco anos de fabricação, a Honda enfim anunciou que o Civic será descontinuado no Brasil, em 2021, bem como sua produção no interior de São Paulo.

A 11ª geração do Civic não deve chegar ao Brasil abrindo espaço para que o novo City seja o grande sedã nacional da Honda. Todavia, existe a esperança de as vendas do Civic no Brasil continuarem mesmo sem a produção local, isso devido a expectativa de importar o modelo do México.

O famoso sedã teve seu novo visual apresentado na Europa e está mais conservador. O design conta com alterações marcantes, como luzes de LED mais claras em faróis afilados, por exemplo. Seguindo as legislações a respeito da segurança e proteção ao pedestre, o automóvel traz um para-choque que continua além do capô.

A coluna C é uma marca registrada do sedã e é semelhante em todos os modelos já lançados, no entanto, na 11ª geração, as dimensões e formas das linhas são bastante diferentes. É notável que a Honda optou por um visual mais sóbrio, sem extravagâncias. Vale pontuar que o veículo está mais alongado que todas as versões anteriores. 

O modelo novo ganhou alterações consideráveis. A largura é um centímetro maior, batendo 1,80 metros, já o comprimento ganhou três centímetros a mais, atingindo 4,67 metros. Contudo, a altura foi reduzida em 2 centímetros, marcando 1,41 metros.

O que chamou verdadeiramente a atenção dos amantes do Civic, do ponto de vista negativo, foi a capacidade do porta-malas que sofreu uma redução drástica de 525 litros para 419. Até mesmo veículos menores, de outras marcas ainda possuem um bagageiro maior.

A parte interna do Civic é revestida em couro e traz detalhes em forma de colmeia, o que camufla as saídas de ar. Os bocais difusores do ar condicionado também ficam ocultos por uma nova peça larga localizada na parte dianteira do painel.

O painel de instrumentos do modelo conta com uma tela de 10,2 polegadas completamente digital, o que garante uma melhor experiência para o sistema de informações e entretenimento do veículo.

Com relação à central multimídia, a tela possui 9 polegadas e é sensível ao toque, havendo compatibilidade com Android Auto e Apple CarPlay. Existe a opção de espelhamento de tela de smartphones e o novo sistema de carregamento de celular por indução.

Os carros deste segmento sempre foram considerados mais seguros e estáveis, a nova geração garante que esta fama perdure. Com a sensacional tecnologia Sensing, o carro conta com:

  •  Oito radares de detecção de pedestres;
  • Câmera frontal;
  • Frenagem autônoma de emergência;
  • Sensores de permanência em faixa;
  • Alerta de colisão;
  • Sistema de luzes adaptativas;
  • Oito airbags;
  • Freio ABS;
  • Câmera lateral;
  • Controle de estabilidade;
  • Controle de tração;

A versão top de linha traz um Civic com câmbio do tipo CVT e motor 1.5 turbo de 176 cv. Segundo os testes, as acelerações do modelo são constantes.

Vale lembrar que existem três modos de condução: Eco, Sport e Normal. O eco busca uma melhor eficiência, conforme o nome dá a entender. Já o Sport busca uma aceleração mais potente em estradas, enquanto o Normal é calibrado para o dia a dia.Por fim, com relação aos valores, a conversão direta de uma importação do México seria o equivalente a R$ 157 mil reais, praticamente o mesmo valor do atual modelo fabricado no Brasil. Mas levando em consideração as variantes do sedã, EXL, EX, LX, Sport, o valor pode atingir R$ 180 mil.

Leia Mais
Em extinção no Brasil: os carros de passeio com motor a diesel