O planejamento para o GP de São Paulo

Evento pode ser adiado devido ao feriado da Proclamação da República

Entre o dia 14 e 15 de agosto, a cidade de São Paulo conseguiu imunizar mais de 500 mil pessoas em 34 horas. Com a ‘virada da vacina’, como ficou conhecida, o total de vacinados com a primeira dose na capital chegou a 99,2% da população. Embalados pelos números, o governador e o prefeito confirmaram a realização do GP de São Paulo e anunciaram seu possível adiamento.

O evento, antes conhecido por GP do Brasil, era previsto para acontecer no dia 7 de Novembro. No entanto, a corrida pode ser adiada em uma semana, para o dia 14 do mesmo mês. A manobra serve para unir o GP com o dia da Proclamação da República, no dia 15, aproveitando o aquecimento econômico de ambas as datas.

Os ingressos para a corrida já estão à venda e a expectativa é que seja permitida a ocupação de 100% da capacidade do Autódromo de Interlagos, local da cerimônia. A organização diz que irá seguir todos os protocolos como uso de máscara obrigatório e disponibilidade de álcool em gel. A partir de 27 de agosto, será disponibilizado um novo lote com 20 mil ingressos. 

No primeiro dia de evento, a corrida será um treino classificatório para decidir o grid e uma prova de 100 km para confirmar a ordem de largada. No domingo, segundo dia de evento, ocorrerá o GP.

Durante a coletiva de imprensa na segunda-feira (16), o promotor do torneio, Alan Adler, reiterou a realização da prova, e explicou a chance de adiamento. 

“Em relação à probabilidade de adiamento em uma semana, eu diria que é de 50/50. É um quebra-cabeça, mas nós vamos lutar para isso. Não há chance de cancelamento do GP de São Paulo, ela é de 0%. Está confirmado”, foi a resposta de Alan para o MotorSport.com.

O campeonato representa um alívio para os cofres públicos. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Formula Money Global Report estimam que, no período, sejam movimentados R$670 milhões de reais, o que representa mais de 100 milhões em impostos. Além da geração de empregos, estipulada em 8 mil novos postos de trabalho.

Apesar da vacinação adiantada se comparada com o resto do país, os números ainda preocupam representantes de outros países, que mantém barrada a entrada de brasileiros. O que é aliado ao recrudescimento da pandemia devido a variante Delta – Israel já iniciou a imunização com a terceira dose para evitar o espalhamento da cepa. 

Outra novidade para esse ano é o uso do nome GP São Paulo, alvo de disputa política. Em clima de tensão, o presidente Jair Bolsonaro e o governador do estado João Doria trocaram farpas em relação ao assunto. O presidente chegou a dizer que mudaria o local do ex-GP do Brasil. 

O governador, no entanto, fez um convite para o mandatário. “O senhor é nosso convidado para vir, até de motocicleta. Desde que use máscara, passe álcool em gel na mão e tire a temperatura, será bem-vindo. Esteja vacinado também”, disse Doria.

Leia Mais
Capacitação de mecânicos: conheça os treinamentos gratuitos da Perfect