Em extinção no Brasil: os carros de passeio com motor a diesel

Desde 1976, os carros de passeio com motor a diesel são proibidos no país. Entenda os motivos

A venda de carros de passeio com motor a diesel foi proibida por lei, no Brasil, pelo Ministério da Indústria e Comércio, no final da década de 70. A medida proibitiva foi criada alguns anos após a primeira grande crise mundial do petróleo e pela poluição gerada pelo enxofre presente no diesel na época.

Ainda que, atualmente, a maioria dos países imponha a restrição da venda de carros de passeio com motor a diesel, o Brasil é o único país do mundo que tem uma lei do tipo. 

Atualmente, os motores dos carros poluem bem menos do que nas décadas passadas, devido ao aprimoramento do combustível, que tornou os veículos 30% mais econômicos em relação aos modelos a gasolina. Além disso, os motores atuais entregam mais torque em baixa rotação.

Embora exista uma melhora significativa ao restringir o uso de diesel nos carros de passeio, esse combustível ainda é utilizado de forma prioritária nos veículos de transporte. 

O modal rodoviário é o principal meio de escoar produtos no Brasil, proteger esse modal é uma questão de segurança econômica, tendo em vista que o diesel  é mais barato. 

Nos dias atuais, somente caminhões, ônibus, picapes com carga útil superior a 1.000 kg e utilitários com tração 4×4 e reduzida (ou primeira marcha mais curta, como nos Jeep Renegade e Compass) podem usar esses motores.

No passado, houve repetidas tentativas de derrubar esse veto, mas sempre surgia algum argumento como a questão ambiental, pois, com menos tecnologia para tratamento do combustível, o diesel emitia muito material particulado prejudicial para a saúde humana.

Porém com a criação do diesel S10, que tem baixo teor de enxofre em sua composição, esse argumento não mais se sustenta. A redução de enxofre, que é o principal responsável pela emissão de material particulado, foi expressiva. Em 20 anos passou de 13 000 ppm (partes por milhão) para 10 ppm. 

No espectro Europeu

A Europa apostou forte nos motores diesel nas últimas décadas. De 10% em 1995, passaram a representar 60% das vendas de carros em 2011.

Hoje, com maior oferta de carros híbridos (elétrico-gasolina) e menor oferta de motores diesel, os carros a gasolina já são os que mais vendem na Europa. 

Tudo indica que essa tendência continuará. Existe a desconfiança do consumidor, que pode gastar 10% menos em um carro a gasolina com motor turbo com injeção direta que entrega força e eficiência semelhantes.

Além disso, vale ressaltar a iminente eletrificação dos carros vendidos no Velho Continente, que tende a não ter carros novos com motor a combustão a partir de 2040.

De qualquer forma, o Brasil pode ter antecipado uma tendência que, em muitos países, segue acontecendo de forma gradual.

Leia Mais
Reparador iniciante: O começo da profissão