A história do Fiat Uno

Saiba como o veículo mudou o conceito de carro no Brasil

O Fiat Uno Mille ELX faz parte do imaginário de qualquer brasileiro. No entanto, poucos sabem das revoluções causadas pelo veículo na história automobilística do país. Em 35 anos, foram mais de 4 milhões de unidades vendidas, o modelo de maior sucesso da marca. 

O Uno chegou ao Brasil em 1984, com o propósito de ser um carro para a cidade. Devido às políticas públicas que beneficiam o imposto sobre automóveis, ele se tornou um sucesso. E, já ocupou uma grande fatia do mercado brasileiro. 

Originalmente, o motor era à gasolina e gerava 1300 cv. A versão esportiva era destaque por ser flex e possuir carburador de corpo duplo.

Não demorou para que as outras marcas lançassem modelos para competir com o Uno, dentre eles: o Chevrolet Junior da GM e o Gol 1000 da Volkswagen. A disputa levou a Fiat a rever alguns conceitos mecânicos do carro e, em dezembro de 1992, lançou o Uno  Mille Eletronic. 

As novidades eram as quatro portas, o ar-condicionado e o sistema de ignição digital. Para conseguir fazer a mudança eletrônica, foi preciso manter o carburador e instalar a ignição digital mapeada. 

Dessa forma, foi possível melhorar o desempenho do Fiat, 20% na potência e 15% no torque. A compressão foi aumentada e o diagrama de comando das válvulas adiantadas. O novo carburador Microplex da Magneti Marelli foi o destaque do motor 1.0 litro.

A emissão de poluentes também foi uma preocupação da marca. O sistema ecobag possuía duas eletroválvulas e cinco válvulas que, quando se puxava o afogador, bloqueava o funcionamento do segundo corpo do carburador. O que melhorava a dirigibilidade do veículo em temperaturas mais baixas. 

Quando alcançada a temperatura ideal do motor, a segunda válvula bloqueava o fechamento da borboleta em desaceleração e inibia o sistema suplementar de injeção de gasolina, possibilitando outra melhora no desempenho do carro. O Uno Mille Eletronic fazia de 0 a 100 km/h em 17,4 segundos, e mudou a forma de se pensar os carros com motor 1.0 litro.

O mercado de veículos populares continuou se desenvolvendo. E, para competir com o Corsa da General Motors que foi um sucesso de vendas, a Fiat repaginou e lançou o Uno Mille ELX, Kit Eletronic Luxo.

A nova versão contava com atributos de ‘luxo’. Os pneus ficaram mais largos e os faróis mais estreitos. O painel foi modernizado ganhando aspecto arredondado. Foram instaladas novas saídas de ar para a climatização personalizada, para-brisa com temporizador, vidros elétricos, espelhos retrovisores de série, bancos aveludados, dentre outros equipamentos elétricos que eram novidade na época. 

As melhorias continuaram. Para 1996, foi lançada uma que inaugurou a injeção eletrônica no modelo – o motor ganhou potência e atingiu 58 cv. Os atributos de ‘luxo’ também continuaram a ser instalados, como lente fumê e toca discos. 

O Fiat Uno chegou a sair de linha nos anos 2000. Porém, em 2004, o veículo ganhou a versão economy, que possuía 65 cv e tinha consumo médio de 20 km/l.

Em 2010, foi lançada a nova geração: o Novo Uno. Atualmente, a Fiat mantém apenas a versão Attractive 1.0 sendo fabricada – antes eram 4. O motor entrega 75 cv e 9,9 kgf.m de torque. O preço de tabela é R$60.090.

Leia Mais
Quem foi Carlos Alberto de Oliveira Andrade, falecido dono da Caoa