Tirando o pé: Volkswagen para de desenvolver motores a combustão

Montadora alemã é mais uma das que pretendem aderir a modos de produção mais sustentáveis 

Segundo dados do Relatório de Emissão Veiculares da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), a região metropolitana de São Paulo possui aproximadamente 7 milhões de veículos. A grande quantidade de veículos nas ruas implica em um dado preocupante: os carros são responsáveis por 72,6% da emissão de gases do efeito estufa.

Diante disso, algumas companhias e montadoras de automóveis, como a Volkswagen, decidiram contribuir para a diminuição da emissão dos gases poluentes ao anunciar que não irá mais fabricar carros com motores à combustão.  

A montadora alemã afirmou que não vai mais desenvolver novos motores a gasolina e a diesel. A estratégia da Volkswagen, por ora, é apenas atualizar seus motores térmicos existentes e se dedicar com afinco ao desenvolvimento de novos motores elétricos. 

No entanto, ainda que a medida seja sustentável, isso não quer dizer que os motores a combustão irão desaparecer de uma hora para outra. A montadora, por sua vez, planeja aproveitar as unidades disponíveis atualmente em uso e atualizá-las para os novos padrões de emissões.

Em entrevista ao site Automobilwoche, o CEO da Volkswagen, Ralf Brandstätter, admitiu que a receita das vendas de carros a gasolina e diesel ainda são fundamentais para financiar o grandioso plano de transição energética da Volkswagen. Por isso não é possível simplesmente acabar com os motores à combustão.

Com metas e planos estratégicos, a marca pretende, através do plano “ACCELERATE”, promover a multiplicação dos carros elétricos, bem como o desenvolvimento de uma plataforma elétrica mais moderna. O plano envolve, ainda, um baixo custo de produção, bem como soluções de software e serviços online para a nova frota. 

A Volkswagen pretende ter uma participação de carros elétricos no total das vendas na Europa de 70% até 2030, uma meta que representa simplesmente o dobro do que havia sido estipulado.  Em mercados como Estados Unidos e China a meta é que os carros elétricos alcancem 50% das vendas totais no mesmo período. 

Esse anúncio vem logo depois que o representante de outra empresa, a Audi, anunciou que tinha parado de desenvolver novos motores a combustão. Além da Volkswagen, a Toyota, Ford, Volvo e a GM também já anunciaram medidas mais sustentáveis na produção de automóveis e suas peças para os próximos anos.


Leia Mais
A oficina das cinco mulheres