Sucessos de três décadas: Carros mais vendidos desde 1990 no Brasil

De 1990 a 2020, no mundo automotivo, diversos modelos foram ganhando espaço entre as preferências dos brasileiros e ocupando o ranking de mais vendidos o país

Nos últimos 20 anos, a indústria automotiva passou por altos e baixos. Seu apogeu se deu no final dos anos 2000, quando o setor bateu recordes de produção, já que as montadoras investiram pesado e anunciaram planos ousados para o futuro. Em 2010, o setor começava a se recuperar com sucesso da crise que abalou o ramo automotivo em 2009, com recorde de vendas pelo quarto ano consecutivo, emplacando 3,5 milhões de automóveis – um aumento de 11,91% em relação ao ano anterior.

Porém, os efeitos da crise de 2008 só mexeram com as estruturas da indústria automotiva em 2011, quando houve uma grande desaceleração nas vendas de veículos e o aumento de 30 pontos percentuais no IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Em 2013, quando o cenário parecia melhorar com um crescimento de vendas de 9,9%, os anos seguintes derrubaram o setor. A recuperação veio apenas em 2017, especialmente por conta do recorde de exportações.

Atualmente, devido à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, a indústria automotiva mostrou um crescimento tímido, mas ainda não suficiente para recuperar o tempo perdido. Seja como for, desde o começo da década de 60, o setor automobilístico enfrenta crises, mas sempre sai por cima surpreendendo seu consumidor com modelos cada vez mais novos e atrativos, batendo recordes de vendas impressionantes. 

Tudo começou na década de 60. Os carros de passeio começavam a chegar em terras brasileiras com a General Motors do Brasil, que projetava seus modelos baseados nos europeus da Opel. Na entrada da década de 90, ainda que o Monza tivesse liderado as vendas por três anos consecutivos, a Chevrolet começava a secar. Então, a década de 90 veio para desbancar o Monza e dar o posto de carro mais vendido para o VW Gol. 

A década de 90 foi extremamente promissora para a Volkswagen, já que o VW Gol foi o campeão de vendas do Brasil desde o seu lançamento, na década de 80, e parte do sucesso dos anos 90 se deve ao modelo “bola”, lançado em 1995. O charme do novo modelo vinha principalmente do design arredondado que causou alvoroço na época, gerou tendência e atraiu muitos consumidores. 

Apesar de a Chevrolet ter perdido o posto de campeã de vendas, o Ômega e o Corsa fizeram muito sucesso entre os consumidores da época. O Chevrolet Ômega foi criado para substituir o Opala e se tornou um dos maiores lançamentos do mercado nacional. O ômega chegou a ser considerado o melhor modelo fabricado no país na década 90, e o sucesso foi tão estrondoso que vende bem até hoje.

Não menos importante, o Corsa foi lançado em 1994 e gerou interesse nos consumidores devido ao seu design e suas cores chamativas, incluindo tons de azul e vinho. Foi o primeiro modelo popular com injeção eletrônica, tornando-se um dos carros mais vendidos nos anos 90.

Corsa foi lançada pela GM em 1994

Já nos anos 2000, quem roubou a cena logo na metade no ano foi o Chevrolet Celta. Lançado em setembro daquele ano, o novo modelo contava com motor 1.0 e o sucesso foi tamanho que a montadora decidiu, nos anos seguintes, lançar a versão do Celta com propulsor 1.4.  Além do Celtinha, o Astra, da mesma montadora, também foi líder de vendas nos anos 2000 devido ao preço justo, bom espaço interno, mecânica robusta e ampla variedade de equipamentos. 

A maioria dos modelos lançados de 2000 a 2003 ficaram bons anos no ranking dos mais vendidos, inclusive o Fiat Pálio, que foi o principal sucesso de vendas da marca italiana no Brasil. O Pálio chegou em 1996 no Brasil e seu sucesso não foi efêmero, pois até 2013, 2.952.044 unidades já tinham sido vendidas. 

Nova década, novas escolhas. O rumo dos carros mais vendidos no Brasil mudou muito em 2010 devido aos diversos lançamentos que ganharam destaque por motivos distintos. Um deles foi o Fiat Uno, que estreou em 2010 como linha 2011 com a missão de ser um dos carros de volume da marca italiana. Na época, já ocupava a liderança geral de vendas no Brasil. 

Com a sua forma quadrada e, ao mesmo tempo, arredondada, o carro tinha cores vibrantes para atrair os jovens. Anos mais tarde, o compacto ganhou os modernos motores Firefly 1.0 e 1.3. Foi a partir do Uno, aliás, que a Fiat fez em 2016 o Mobi, um subcompacto mais barato e apertado do que seu irmão mais velho.

Em 2011, além do queridinho Uno, o Renault Duster, o primeiro SUV da Renault, ganhou força no Brasil principalmente devido ao seu amplo espaço interno. Com o passar dos anos, ainda que não tenha desbancado a famosa EcoSport, conquistou espaço entre os SUVs compactos.

Em 2012, a Chevrolet lançou um modelo que teria a mesma proporção de vendas que o seu Corsa lá nos anos 90. O Chevrolet Ônix chegou com tudo e rapidamente conquistou o consumidor com seu design moderno e com a central multimídia MyLink. Em uma época na qual o rádio ainda era adquirido pela maioria dos clientes, o novo item caiu nas graças do público. Com tantas qualidades, liderar o ranking dos mais vendidos até hoje não foi um desafio para o Ônix. 

No mesmo ano, a montadora Hyundai apostou todas as suas fichas e uma fábrica inteirinha para produção de um modelo que, com passar dos anos, mostrou que todo esse esforço valeu a pena. O primeiro carro popular da marca coreana no Brasil, o HB20, estreou com tudo e trazia design ousado, acabamento acima da média da categoria, motores modernos e bom nível de equipamentos. Sem muito esforço, o HB20 tornou-se vice-líder de mercado, algo que apenas modelos da Chevrolet, Volkswagen, Ford e Fiat tinham conseguido até então.

Em 2015, independentemente do local, bastava olhar para qualquer avenida que você com certeza veria o Jeep Renegade. O primeiro SUV compacto vendido pela marca no Brasil vinha com personalidade de sobra e acabamento digno de categoria superior. O modelo logo virou o sonho de muitos brasileiros e hoje lidera as vendas de SUVs compactos, um dos segmentos mais disputados dos últimos anos.

Jeep Renegade é um dos mais queridos modelos dos brasileiros

No ano seguinte, a Fiat surpreendeu os consumidores com um novo carro, especialmente pelo seu tamanho e design impecável. De porte intermediário, o Fiat Toro foi a primeira picape da marca e virou um dos maiores sucessos da Fiat, vendendo quase tanto quanto a Strada. Além da Toro, mesmo com um preço salgado, o Jeep Compass também entrou para a lista das picapes mais vendidas no Brasil.

A Fiat Toro conquistou boa parte dos consumidores de sua categoria

Por fim, o modelo que não saiu do radar do consumidor em 2019 foi o Toyota Corolla. Um dos fatores mais atraentes do sedã é o fato de ele ter sido o primeiro carro híbrido fabricado no Brasil. Seu motor 1.8 a combustão aceita gasolina ou etanol, servindo para mover o modelo ou recarregar as baterias que alimentam o motor elétrico. Graças à sua avançada tecnologia e design de tirar o fôlego, o Corolla foi sucesso entre os consumidores da classe média no Brasil.

Até o primeiro semestre de 2020, de acordo com informações da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, o Chevrolet Ônix ainda reina na primeira posição da categoria Hatches e seu sedan, Ônix Plus, lidera entre os Sedans. O Jeep Renegade lidera na categoria SUV e, entre as picapes, a Fiat Strada segue na liderança. 

Leia Mais
Schaeffler amplia seu portfólio de embreagem LuK RepSet com novas aplicações