Go Speed Racer, Go! – Relembre a história da popular série dos anos 70

Speed Racer foi o maior piloto de todos os tempos, relembre sua história que atravessou gerações.

Quem é o maior piloto de todos os tempos? Dependendo da sua idade você pode responder Ayrton Senna ou Niki Lauda, mas esse é você agora, no passado poderia ser “é o Speed Racer”, e isso não seria mentira. De fato o Speed foi o maior piloto de todos os tempos, pelo menos em seu universo.

Sua história já rendeu revistas em quadrinhos, diversas séries animadas e um filme. Para quem não conhece, as aventuras giram em torno de Speed Racer, um jovem piloto que dirige o Mach 5, o carro mais poderoso do mundo. Junto com sua equipe, Speed participa das mais insanas e perigosas corridas do mundo.

Onde tudo começou

A história de Speed Racer começou longe das telas, ela teve início em alguns rascunhos de Tatsuo Yoshida nos anos 60, e se tornou o mangá (histórias em quadrinhos japonesas) chamado Maha Go Go Go.

Originalmente, o protagonista se chamava Go Mifune, em homenagem ao ator japonês Toshiro Mifune, e pilotava o potente Maha 5. Os mangás eram do estilo shōren, ou seja, o público alvo eram garotos de 12 a 18 anos.

A primeira série de histórias em quadrinhos foi publicada em dois volumes, entre junho de 1966 e maio de 1968. Um ano depois da sua estreia nas páginas, Go Mifune ganhou sua primeira animação, também chamada de Maha Go Go Go.

imagem dos quadrinhos do speed racer

De Go Mifune para Speed Racer

Após sua estreia e sucesso no Japão, não demorou muito para a franquia desembarcar no ocidente. A primeira parada foi nos EUA, porém o público ocidental não aprovaria algumas coisas na animação e nos quadrinhos, por isso diversas mudanças aconteceram.

Go Mifune teve seu nome alterado para Speed Racer e seu carro Maha 5, foi traduzido para Mach 5. Não apenas o nome do protagonista foi alterado, o nome da série também, o desenho e as histórias em quadrinhos deixaram de se chamar Maha Go Go Go e ganhou o nome do protagonista.

Todos os personagens também tiveram seus nomes alterados. Ao chegar no Brasil, nos anos 70, o desenho foi transmitido pela TV Tupi e Rede Record. Nas terras tupiniquins, os personagens também sofreram algumas mudanças, o nome do Speed e do carro continuou o mesmo, mas personagens secundários sofreram algumas regionalizações.

Enredo

O foco da série era basicamente as corridas, mas constantemente elas ficavam em segundo plano, pois Speed tinha que resolver assassinatos, roubos e outros mistérios.

As corridas eram sujas e emocionantes, os carros eram protótipos, pouco semelhantes com os carros da vida real. O carro do Speed Racer, por exemplo, possuía diversos apetrechos, como serras, drones e blindagem.

A série também tratava de assuntos familiares, quase toda a equipe de Speed faziam parte de sua família. O engenheiro era Pops Racer, pai do protagonista, o apoio aéreo era feito por Trixie, namorada de Speed, e Sparky, melhor amigo do piloto e mecânico.

Quem assistia a série lembra de outros nomes, como Gorducho e Zequinha. Gorducho era o irmão mais novo de Speed e Zequinha era seu chimpanzé de estimação, praticamente um irmão.

A família de Speed não era perfeita, ela possuía cicatrizes. O irmão mais velho era um promissor piloto chamado Rex, ele era a inspiração de Speed quando mais novo. Depois de sofrer um grave acidente e escapar com vida, Rex discute com Pops e foge de casa e desaparece. Porém o piloto não ficou de fora, ele assumiu o manto do Corredor X, um misterioso e habilidoso motorista.

speed racer em sua pose icônica ao lado do mach 5

Personalidades

Speed Racer, originalmente chamado de Go Mifune, era mais que um piloto habilidoso, ele também era um excelente artista marcial. Ele possuía um senso de justiça tão grande que foi recrutado diversas vezes por um agente da Interpol, que utilizava o codinome Inspetor, para resolver crimes.

Outro personagem importante era o Corredor X (Racer X nos EUA e Fukumen Rēsā no Japão), seu nome era Rex Racer, originalmente Kenichi Mifune, irmão de Speed. Ele era temido por todos os pilotos e também era agente secreto da Interpol. Ele pilotava o carro número 9, chamado Shoting Star (Estrela Cadente), uma versão melhorada do Mach 5. Speed nunca soube sobre sua real identidade.

Pops Racer era um exímio engenheiro, um profissional tão bom que projetou e construiu o Mach 5 sozinho. Ele era um grande engenheiro automobilístico, mas após ser demitido, ele resolveu criar sua própria equipe de corrida.

Quando Speed estava com problemas ele sempre podia contar com Trixie, sua namorada. Apesar de nunca terem se beijado, em cena, o casal era completamente apaixonado um pelo outro. Trixie dava apoio aéreo para Speed e o ajudava quando estava encrencado, além disso, ela também era uma excelente lutadora.

O Gorducho e o Zequinha são dois personagens icônicos, Zequinha é o mascote da família Racer, um chimpanzé, e o Gorducho é o caçula de Speed. Ambos são conhecidos por se envolverem mas aventuras de seu irmão, normalmente se escondendo no porta-malas do carro.

Mach 5

O Mach 5 é a marca registrada de todo o desenho. O carro foi inspirado na Ferrari 250 Testa Rossa e nos carros dirigidos por James Bond. O veículo era praticamente um tanque de guerra de corrida, cheio de apetrechos e armas.

Quem acompanhou o desenho lembra que o volante possuía algumas funcionalidades extras. Nele haviam sete botões, cada um tinha uma função tática diferente, elencada da letra A até a letra G.

A – Autojack: Uma espécie de macaco automático fazia o carro dar um grande salto, enquanto está em movimento.

B – Belt Tire: Esse botão ativa uma capa protetora nos pneus, o que o protege de pregos, armadilhas e de terrenos irregulares.

C – Cutter: Duas serras circulares se projetam na frente do carro, elas eram usadas normalmente para cortar árvores e abrir caminhos.

D – Deflector: Uma capota a prova de balas protege o piloto do carro. Além disso, o veículo inteiro fica blindado.

E – Evening Eye: Faróis infravermelhos são ligados, o que possibilita uma visão noturna mais ampla.

F – Frogger: O Mach 5 se adapta para cenários submarinos.

G – Gizimo Robot: Uma espécie de drone/pombo é ejetado e auxilia o piloto a se localizar.`

Além dos sete botões do volante, no painel do Mach 5 havia o oitavo botão, a letra H, e um joystick para controlar o drone. A função do botão H era trazer o pombo de volta ao carro.

speed racer dentro do mach 5

Outras mídias e spin-off

As histórias de Speed Racer se estenderam além da séries e da história em quadrinhos original. Nas páginas das revistas, novas aventuras começaram a ser pensadas em 1997, na revista Mach Go Go Go, uma versão americanizada.

Na televisão, também em 1997, uma nova série foi lançada, ela se chamava Speed Racer X e também era uma versão americanizada da série original. Ela não fez tanto sucesso e foi cancelada após 34 episódios.

Speed teve bastante espaço nas revistas em quadrinhos, como a grafic novel Chronicles of the Racer e Born To Racer. O Corredor X também ganhou o protagonismo em uma série de HQs, chamada Racer X.

Em 2008, foi lançado o primeiro filme sobre as aventuras de Speed Racer, dirigido pelas irmãs Wachowski (Matrix). O filme foi um tanto polêmico, pois apresentou ao público um estilo de corrida diferente aos desenhos. Além do Mach 5, Speed dirigia, como carro principal, o Mach 6 – mudança que não agradou o público.

O filme apresentou novidades que não agradou muito, em contrapartida, a série animada “Speed Racer: A Nova Geração” fez sucesso entre o público mais novo. O desenho é uma continuação da série clássica e conta a história dos filhos de Speed, o Speed Racer Jr. e Rex Racer.

Leia Mais
Messerschmitt KR175: Um dos carros mais estranhos do mundo