Coisa de menino? Nada!

Quando se pensa em um mecânico logo vem à mente a imagem de um homem com as mãos e roupas sujas de graxa, fazendo um serviço pesado em uma oficina bagunçada. Mas a mecânica Thais Roland, de 39 anos, foge desse estereótipo.

Apaixonada por carros desde cedo, Thais largou sua promissora carreira na área de tecnologia para focar no mundo da mecânica.  Além de especialista em carros antigos, a reparadora possui um blog e um canal no YouTube, ambos tem o intuito de ensinar sobre carros e principalmente ajudar as pessoas a resolver problemas automotivos.

Do hobbie ao trabalho

Thais trabalhou durante 15 anos em infraestrutura de redes de computadores, “eu tinha uma carreira sólida na área de tecnologia, eu ganhava bem e tinha um emprego bom” conta. Os carros sempre foram uma paixão para ela, algo que remete sua infância, então “para me reaproximar dos carros, a ideia era aprender um pouco de mecânica, comprar um carro velho e mexer no fim de semana” relembra.

Foi nessa procura por um hobbie que ela se descobriu. “Eu entrei no SENAI em 2011 e em 2013 fiz o meu primeiro estágio na área de mecânica. Ai eu decidi que queria trocar de área. Então desde 2013 que eu trabalho exclusivamente como mecânica”, conta.

Thais revela que “quando começou o curso só tinha mais uma menina. Se não me engano, no primeiro semestre ela já desistiu, no máximo no segundo. Só eu me formei”. Apesar de não haver outras garotas ela conta que não sofreu preconceito durante o curso e foi muito bem tratada.

Uma mulher na oficina

Apesar de nunca ter trabalhado ao lado de outra mecânica, Thais conta que sempre foi bem tratada nas mecânicas que atuou. “Os donos das oficinas e os colegas com quem eu trabalhei sempre me receberam muito bem”.

Tanto no SENAI quanto nas oficinas, Thais fala que a reação dos colegas sempre foi tentar protegê-la, “a primeira reação deles é sempre de proteger e querer fazer as coisas por mim, isso me incomodava um pouco”, narra.

Quando essas situações aconteciam, a mecânica sempre dizia: “cara pode deixar, fica tranquilo, se eu achar que é muito pesado e que não vou conseguir eu peço ajuda, mas me deixa tentar primeiro”.

Apesar dela ter ótimas experiências com os funcionários das oficinas, Thais sofreu preconceito por parte de algumas pessoas. “Alguns clientes não queriam que a menina mexesse no carro e isso me desestimulava um pouco. Mas paciência, eu sabia que ia acontecer”.

“Aquilo era parte do processo para chegar onde eu queria. Tanto que hoje, trabalhando com vídeos para internet, trabalhando com os workshops e tudo mais, o fato de eu ser uma mulher virou uma vantagem”, completa Thais.

Empoderamento

O empoderamento é algo presente em sua vida. Desde pequena Thais fugiu dos padrões, “quando eu era criança eu sempre preferi carrinhos do que bonecas, eu até tinha uma ou outra bonequinha lá, mas eu sempre preferi carrinhos”, lembra.

Thais conta que busca sempre ajudar as garotas a realizarem seus sonhos e que é constantemente procurada por elas. “Eu acho um máximo elas me perguntarem e se inspirarem em mim para fazer esse tipo de coisa. Porque é um incentivo para caramba mesmo, me ponho à disposição e às vezes eu até tento ajudar procurando um estágio para elas nas oficinas de meus parceiros”.

Ao ser questionada sobre a relação entre as mulheres e os carros, Thais diz que: “o problema é que historicamente, nós fomos desencentivadas a mexer com isso ou a ser curiosa em relação a isso. Então hoje a gente está em uma época onde para as meninas mais novas querem fazer isso, não está fácil, mas está menos difícil”.

Ela diz que é importante as mulheres sejam empoderadas, “nós [mulheres] realmente, durante muito tempo, fomos impedidas de fazer determinadas coisas. Então quem diz ‘é só uma questão de se quisesse mesmo faria’ está por fora da história”.

“Nos fomos sim podadas durante muito tempo e agora isso [o empoderamento] está ganhando força. Eu vejo muitas mulheres de todas as idades fazendo o que realmente querem fazer, tendo a coragem de fazer o que realmente quer, isso é lindo”, completa.

Influência

O blog Coisa de Menino Nada nasceu em 2008 quando Thais estava voltando da feira do automóvel, ela lembra que “na época blog estava em evidência né. Ai eu falei ‘poxa vida era isso que eu podia fazer, se eu tiver que escrever sobre carros necessariamente eu vou ter que ler mais sobre carro, então eu já vou me aproximar mais desse negócio que eu gosto tanto’, ai resolvi fazer o blog”.

Toda ideia surgiu no caminho para casa, desde o nome até os posts. “Era super despretensioso, eu falava de carros, tecnologia, música, filmes, de tudo que eu gostava na época. Só depois de alguns anos que eu direcionei para mecânica e comecei a dar dicas e tudo”, relembra.

Mesmo grávida Thais não deixa de produzir conteúdos para seu canal. Com sempre um sorriso no rosto, a mecânica conta que não espera que o seu filho seja mecânico ou um apaixonado por carros, ela quer que ele faça o que gosta. 

“Acho que o importante é deixar que as gerações futuras sejam as mais felizes possíveis e que façam o que gostam, que elas curtam fazer e que não sejam direcionadas como as nossas gerações foram, o que transformou a gente em adultos infelizes.”

Leia Mais
40 anos de Stock Car