Por dentro das linhas de montagem

Conheça o passo a passo da montagem de um carro

Em 7 de outubro de 1913, Henry Ford criou a primeira linha de montagem de carros, em Highland Park (EUA). Diferente dos carros artesanais e únicos, Ford pensava na padronização dos veículos e na redução dos custos de produção. Além de baratear todo o processo, a fórmula que Henry criou garantiu maior segurança e levou os carros para as massas.

Após a ideia de Ford, todo esse processo se espalhou pelo mundo. Mais de 100 anos depois, os carros ainda são feitos de maneira parecida. Conheça agora o passo a passo da linha de montagem de um carro.

Tempo e dinheiro

A criação de um carro é processo que leva tempo e custa dinheiro. A duração é de no mínimo dois anos para a criação do projeto até o lançamento do carro, e custará no mínimo 100 milhões de dólares. Mas esses dados se aplicam para veículos que são derivados de outros já existentes.

A criação de um automóvel totalmente novo demanda muito mais tempo e será muito mais cara. O tempo médio ficará de três a quatro anos com a tecnologia atual – antigamente poderia demorar de seis a oito anos. E o valor médio da produção sobre para 400 milhões de dólares.

Se adicionar a criação de uma nova plataforma de veículos, para novas famílias e novas tecnologias, o cálculo pode ultrapassar 1 bilhão de dólares.

O Desenho

Antes de o carro ser construído e projetado, ele precisa ser pensado no papel. As equipes de design e de engenharia planejam todas as etapas em conjunto. Deve ser pensado no valor do carro, quem será o consumidor e para quais usos o veículo será destinado.

Todo o design é pensado para otimização de espaço, aerodinâmica dos veículos e segurança dos passageiros. Por isso, com o tempo, os carros começaram a perder as linhas retas. 

A maioria dos elementos que os automóveis possuem vem de carros conceito. Normalmente, eles são apresentados em feiras do automóvel para mostrar as novas tecnologias. Eles funcionam como uma espécie de passarela das novas tendências do setor.

Após todo o planejamento, é iniciada a etapa dos primeiros desenhos do carro. Todos os componentes, cada parafuso e cada peça precisa ser cuidadosamente pensada.

“Não foi um arquiteto ou um designer que inventou os objetos, mas um artesão. Sua intenção não era criar uma forma bonita, mas funcional. o martelo, os alicates foram inventados dessa maneira. […] Minha filosofia em carros e objetos é que a forma deve ser honesta, poderíamos dizer que tento remover o supérfluo e ser harmonioso, busco a harmonia na complexidade” afirma Giorgetto Giugiaro, designer de diversos carros como:


Quando todos os detalhes estão prontos, é criado um modelo digital do veículo. Por meio de um programa avançado, são iniciados os testes, que vão desde aerodinâmica até textura das peças e as cores da carroceria.

Essa etapa de testes no modelo virtual é recente. Uma equipe de artistas fazem o desenho digital e adequam todas as especificações nele. Antigamente essa etapa não existia. O desenho era feito literalmente em papel e depois ia direto para o molde.

Engana-se ao pensar que antigamente era mais rápido. O processo tecnológico de hoje evita problemas de aerodinâmica e estética, antes mesmo dos moldes iniciais. Ou seja, ele evita que o carro tenha que ser refeito diversas vezes antes do design final.

Modelos

O primeiro protótipo do carro é feito após os testes digitais. Ele é confeccionado em argila em uma escala três vezes menor que a real. Nele é medido proporções, formas e o equilíbrio nas linhas do veículo. Essa versão é produzida, normalmente, com ajuda de artesãos da própria montadora.

No passado as primeiras versões dos carros feitos eram confeccionados com argila natural, porém hoje o processo é realizado com uma argila plástica sintética, conhecida como Clay.

Mercedes Benz

O segundo modelo criado, ainda de argila, já assume o tamanho real. Todos os detalhes do veículo são feitos e peças reais são incorporadas. Então é verificado outros itens a respeito do design do veículo. Caso exista alguma necessidade de alteração no projeto, ela é realizada.

Produção

Com todos os detalhes feitos e com o design finalizado, a montagem dos carros começa a ser realizada. A primeira etapa é a criação, ela começa na estamparia. Onde é feita a estrutura do veículo com chapas de aço.

A montagem da carroceria é feita logo em seguida. As partes do porta-malas, capô e portas são unidas e soldadas. Logo após, o assoalho, as laterais e o teto são anexados a estrutura. E assim o esqueleto do carro está pronto.

AçoUsado para construir a estrutura do carro. Ele representa 55% do peso do veículo
AlumínioUsado em importantes componentes como radiador, bloco do motor e nas rodas
PlásticoEle é utilizado na parte estética do veículo, como acabamento dos painéis e em algumas partes do motor
BorrachaEncontrada em pneus, vedantes e no suporte do motor
Fibra de carbonoA fibra de carbono é usada para fazer o exterior e o interior do carro

Toda a estrutura recebe um tratamento químico para proteger contra a corrosão. Em seguida o veículo é pintado e fica em uma estufa de secagem. As pinturas afetam, e muito, na identidade do carro. Por isso, algumas montadoras possuem cores exclusivas, como a Ferrari e a Lamborghini.

Enquanto o carro é pintado, a fábrica continua trabalhando. O motor, a transmissão e as outras peças mecânicas são montadas em outro setor. Normalmente elas já vêm prontas dos fornecedores.

Processo de solda com Robô

Na última etapa o carro começa a receber o acabamento interno: bancos, forros e painéis são instalados. Conforme o carro vai passando em esteira de montagem é colocado suspensão, pneus e os para-choques.

Hoje, a etapa de produção do veículo é 70% feita por robôs. Processos repetitivos, pesados e que precisem de uma altíssima precisão é feito por máquinas autônomas. Os humanos monitoram todo o processo e agem quando é necessário de algum tipo de raciocínio, como o acabamento final e os detalhes.

Em média, a produção de um único carro leva cerca de 24 horas, um contraste aos quatro ou cinco anos que demora para criar um projeto. Mas toda essa agilidade é recente: foi só a partir dos anos 60 que os robôs começaram a substituir o homem nas tarefas pesadas.

Teste de qualidade

Após o fim da montagem, os carros são testados em alguns trechos de asfalto. A fim de identificar sons ou vibrações irregulares. Além disso, são realizados alguns testes de segurança. Mas essa etapa nem sempre a montadora realiza.

Órgãos governamentais como DENATRAN e IBAMA devem participar da etapa de testes. O instituto brasileiro de meio ambiente verifica se o carro cumpre as normas ambientais. O Departamento Nacional de Trânsito averigua se o veículo cumpre as normas de segurança.

Teste de qualidade

As normas de seguranças avaliadas pelo DENATRAN se dividem em passiva e ativa. Na passiva é verificado os airbags e cintos de segurança, ela tem o objetivo de reduzir danos. A ativa é focada na prevenção de acidentes, nela são verificadas buzinas, luzes, retrovisores, freios e outros itens.

Além dos órgãos governamentais existem organizações internacionais que também medem a segurança do veículo. A Latin NCAP realiza testes de colisão em diversos automóveis na América Latina. A empresa é uma subsidiária de uma organização internacional que realiza testes em todos os continentes.

Nas avaliações brasileiras são realizadas batidas frontais e laterais. Nas europeias são realizadas batidas em postes, testes de chicote e atropelamento, além das colisões frontais e laterais. As experiências que não são realizadas no Brasil, segundo a empresa, poderão ser aplicadas no futuro.

Destino final

Após os testes, os automóveis são levados ao pátio da montadora e por ultimo são colocados em um caminhão cegonha e distribuídos nas concessionárias de todo Brasil.

Leia Mais
A oficina das cinco mulheres